sábado, 18 de novembro de 2017

Tentando não retardar os pensamentos...

Eu já andei de montanha russa, mas não me lembro exatamente a sensação do feito. Sei que um dos motivos que me levaram a topar a aventura foi o fato de dar-me a chance de passar pela experiência e de não perder a oportunidade. 

Passar por uma vida de montanha russa, não é bem o que eu desejava da mesma em termos de experiência e oportunidade. Também não acho o termo adequado para a comparação como as pessoas usam...o brinquedo por mais altos e baixos que tenha não leva uma eternidade...embora a sensação seja essa, temos a certeza de que em poucos minutos tudo vai passar..a minha vida "montanha russa" já dura 43 anos. Alguém já teve essa sensação?

Embora, eu já saiba há muitos anos que uma das minhas características mentais é o retardo, no sentido literal da palavra, ou seja, sou lerda pras coisas e as coisas acontecem de forma devagar para mim...nunca atentei ( até porque sou retardada) para o fato de que eu deveria trabalhar isso em mim para que não me prejudicasse tanto...tarde demais? Não. Preciso acreditar no ditado que nunca é tarde demais...rs!

Nunca estive tão bem espiritualmente, o que acredito ter ajudado pra acordar um pouco pra vida. Acordar não é a expressão correta, como a maioria das pessoas pensam. Eu não estava dormindo, eu simplesmente sou retardada...da pra entender? A minha idade cronológica não condiz com minha idade mental, tanto que eu não consigo sentir raiva das minhas escolhas, eu lamento, mas não consigo sentir arrependimento.

Esse retardo tb nunca me fez infeliz, pelo contrário, como falei, a consciência de ser retardada não martelava 24h na minha cabeça me fazendo me sentir diferente, não, nada disso...a vida sempre foi bela passando rápido ou devagar. Foi aí que surgiu o problema. A famosa infelicidade. Não ser feliz é diferente de não estar feliz. Independente de estar ou não feliz, eu sempre fui feliz.

É claro que eu demorei à perceber isso. Mas quando percebi, percebi tb que estava colhendo as consequências de ser lerda. E agora? Ficar com raiva?...Aff...

Prefiro acreditar que com toda minha lerdeza, não serei punida por isso. Preciso acreditar que eu posso lutar comigo mesma na tentativa de fazer o que eu poderia ter feito de forma diferente. Pior que ser retardada é ser retardada e burra, e burra não sou!

Que o futuro me aguarde com boas peças. E que tudo sirva de história pra contar. Quem sabe cada historia terá seu capítulo aqui...em breve...rs!!!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Não é Páscoa !!

Ainda não é Carnaval e as vitrines já estão ornamentadas para Páscoa !!!

A primeira vez que me deparei com a novidade, me dei conta que não é tão novidade assim...nos últimos anos o comércio se prepara com cada vez mais antecedência. Não sei exatamente qual é a estratégia...fazer vc comprar cada vez mais, já que a cada passada pelas vitrines vc se lembra de alguém ?? Lembrar que vc deve se organizar pra gastar ?? Lhe deixar encantada com tantas novidades e dar tempo suficiente para vc ser convencida??

Encantada de fato eu fico...sou capaz de passar horas dentro dessas lojas fazendo questão de conhecer cada novidade...me perco em tanto encantamento!!! Tb sou capaz de desejar...tudo !!! Faria uma lista fácil com cada presenteado além de mim...mas...

Ingrid Guimarães tem um programa que eu estou amando sobre o consumo consciente. E é super interessante perceber que alguns artistas não são tão "artistas" assim. Como assim uma comediante de sucesso não ter uma bolsa cara, simplesmente porque não gosta?? Adora mochilas de bichinho...Então por que eu tenho que gostar?? Como assim, a outra linda tem uma crise alérgica porque comprou muita roupa em NY ( pra se adequar à sua nova imagem) e foi contra seus princípios??

Nada contra os gostos é claro, até porque isso não vai mudar...vou continuar gostando e apreciando lindas bolsas e belos sapatos além de tantos outros itens...a questão talvez esteja na quantidade ou na necessidade...
Eu preciso de um coelho??

Conhecer outras culturas, ler e estudar, de fato amplia nossos horizontes, além disso, nos faz buscar muita das vezes nesse conhecimento, o consolo por vc não poder consumir como gostaria e como a sociedade ( na qual nós vivemos) nos impõe. Viver nesse contra fluxo não é fácil, porém, é muita das vezes necessário. Necessário não...obrigada, o que é diferente.

Necessário não ser consumista é fato e todos deveriam incorporar essa vibe mas ser obrigada a não consumir nem sempre tem o glamour de ser ecologicamente correto, por exemplo.

Em RH entendemos que competências se desenvolvem, e essa é mais uma que nós enquanto mortais  deveríamos  desenvolver enquanto pessoas habitantes de uma sociedade tão desigual. E a ideia não é ser o salvador da Pátria, é ser o salvador do "eu" e do bolso...rs

Passado o trauma de não poder consumir, aliado às novas descobertas culturais incorporado ao novo sentido da vida, entendemos que no fundo amadurecemos. E como todo amadurecimento dói, esse não é diferente, da mesma forma que a nova consciência adquirida justifica com sobriedade a nova tranquilidade e paz de espírito.


que ideia gira para a Páscoa !: